PSICOPATIA FEMINISTA

Que feministas são psicopatas, ou pelo menos agem segundo uma lógica de psicopatas, é algo que se deduz facilmente das declarações que elas fazem e dos argumentos que apresentam numa discussão. Embora as feministas gostem de alardear que o feminismo também é bom para os homens, é nítido que essas mulheres não dão a mínima […]

Continue lendo

O sexo como armadilha – Parte 3

No primeiro e no segundo artigo dessa série, expliquei como o cortejo e o ato sexual se tornaram atividades de extremo risco para o homem, já que, pelos mais variados motivos, ele pode ser acusado de assédio ou estupro mesmo não tendo feito nada que merecesse receber esses nomes. Mas não é só antes e […]

Continue lendo

O sexo como armadilha – Parte 2

Na primeira parte desse artigo, expliquei como o jogo da conquista se tornou uma atividade arriscada para o homem, na medida em que ele pode ser acusado de assédio por qualquer ninharia que diga ou faça – já que o conceito de assédio foi de tal forma ampliado pelas feministas que agora tudo pode caber […]

Continue lendo

O sexo como armadilha – Parte 1

As feministas impuseram sua cosmovisão e suas normas às questões envolvendo o cortejo e o sexo. Não se sentaram com os homens para definir o que era certo ou errado, aceitável ou inaceitável nessas áreas. Simplesmente disseram “Nós queremos que seja assim” e as coisas estão se encaminhando, inclusive do ponto de vista legal, para […]

Continue lendo

Como o preconceito no campus favorece as mulheres – Daphne Patai

O Título IX, aprovado em 1972, parece uma simples lei federal de direitos civis. Proíbe a discriminação com base no sexo no ensino superior em faculdades e universidades que aceitam assistência financeira federal – o que quase todas as escolas fazem em certa medida. No entanto, sua imprecisão inicial, combinada com a inevitável expansão da […]

Continue lendo

Prefácio de Heterofobia – Daphne Patai

Como muitas mulheres em nossa sociedade, experimentei o que hoje é rotulado de “assédio sexual” – na rua, na escola e no trabalho. Em Paris, um homem uma vez agarrou meu peito enquanto passava por mim (eu sabia, quando ele se aproximou de mim, que ele ia fazer alguma coisa, mas eu não tive coragem […]

Continue lendo

Os privilégios da fraqueza

Na cosmovisão feminista, privilégio é aquilo que só os homens podem ter, na medida em que eles detêm o poder e o usam para oprimir as mulheres. Já as mulheres, por não terem poder e serem oprimidas pelos homens, não gozam de privilégio nenhum. A vida delas é uma sucessão de desvantagens e prejuízos, de […]

Continue lendo

A dor pública e a dor privada

Eu me considerava uma pessoa de esquerda até não muito tempo atrás e, como tal, era feminista. Acreditava em todas as desvantagens femininas que são divulgadas pela mídia, ou seja, que as mulheres ganham menos que os homens por sexismo, que as mulheres são as maiores vítimas da violência doméstica, que o Brasil é o […]

Continue lendo